Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

 

Nosografia freudiana
 

Definição
Descrição e classificação das doenças encontrada na obra de Freud

Histórico
Embora termos como histeria, melancolia, epilepsia e alienação mental venham sendo empregados desde a antiguidade, até a época de Freud ainda não havia-se conseguido uma sistematização das doenças mentais. Tentativas de influenciar psicologicamente certos sintomas mentais são também muito antigas. É de cerca de 1300 o primeiro registro na literatura especializada de uma forma de tratamento específico para as doenças mentais. Acreditava-se que as condutas desordenadas dos casos de paranóia poderiam ser debeladas por persuasão e artifícios como cartas forjadas. Até a primeira metade do século XVII ainda predominava a idéia da persuasão moral como forma de tratamento da loucura. Theophrastes Philippus Aureolus Bombastus von Hohenhein (1493-1541), mais conhecido como Paracelsus, foi o primeiro a sugerir que deveria haver um fator responsável pela afetação de uma mente por outra. Acreditava que seria uma espécie de "fluído magnético". Franz-Anton Mesmer (1734-1815), que estudou medicina em Viena, desenvolveu uma teoria a respeito desta "força magnética" proposta por Paracelsus que ficou conhecida como "Teoria do Magnetismo Animal" ou "Mesmerismo": força vital de que são dotados certos indivíduos e que propicia uma série de fenômenos paranormais. James Braid (1795-1860) e Bertrand (1730-1840) mostraram que o Mesmerismo era um estado subjetivo que poderia ser produzido por sugestão, e chamaram este tipo de sugestão de hipnotismo.
É ainda no século XVIII, com Philippe Pinel (1745-1826), Jean-Étienne-Dominique Esquirol (1772-1840) e seus seguidores que se consolida a idéia de loucura como doença e se inicia a observação sistemática dos fenômenos psicóticos para a elaboração de uma nosografia.
No século XIX o predomínio foi da Escola Alemã com Karl Jaspers (1883-1969), Emil Kraepelin (1856-1926), Ernest Kretschmer (1888-1964), Kurt Schneider (1887-1967) e outros. O conceito moderno de psicose foi propopsto pela primeira vez em 1844, em Viena. A primeira nosografia clínico-etiológica das psicoses, que perdurou até poucos anos atrás, foi proposta por Kraeplin e dividia as psicoses em 3 tipos: as psicoses endógenas ou funcionais (Demência Precoce, Psicose Maníaco-Depressiva e Paranóia), Psicoses exógenas (decorrentes da ingestão de substâncias tóxicas) e as psicoses orgânicas (decorrentes de patologias orgânicas). Eugène Bleuler (1857-1939) cunhou o termo Esquizofrenias a partir da observação de que a Demência Precoce de Kraepelin não constituía uma única doença e sim um conjunto de afecções com traços comuns, sendo o principal a cisão da mente. (Esquizofrenia, literalmente mente dividida). Iniciava-se o estudo psicológico das doenças mentais.
Jean-Martin Charcot (1825-1919) já havia demonstrado o efeito da sugestão hipnótica na histeria. Joseph François-Felix Babinski (1857-1932) esclareceu o efeito da sugestão hipnótica como sendo a implantação de uma idéia que inibiria idéias opostas a ela e que o efeito inibidor da idéia implantada dependia da relação entre o médico e o paciente. Pierre-Marie-Felix Janet (Paris, 1859-1947) concebeu a presença de idéias fixas na origem da histeria, as quais provocariam uma restrição ou uma dissociação da consciência. Josef Breuer (Viena, 1842-1925) demonstrou a presença de reminiscências na origem da histeria, as quais levariam também a uma dissociação da consciência. Sigmund Freud (1856-1939) formou-se em Medicina em Viena, especializou-se em Paris com Charcot e deu início ao estudo psicodinâmico das doenças mentais. Também ele estava envolvido na tentativa de fazer-se uma nosografia das doenças mentais.Com seus conhecimentos iniciais (teoria do trauma/sedução, teoria de diferentes defesas contra idéias incompatíveis e início da teoria da libido) criou sua primeira classificação dividindo as doenças mentais funcionais em Neuroses Atuais e Psiconeuroses de Defesa. As Neuroses Atuais seriam aquelas decorrentes de conflitos atuais e cujos sintomas não seriam expressões simbólicas, mas resultariam diretamente da ausência ou inadequação da satisfação sexual. Em oposição, as Psiconeuroses de Defesa seriam decorrentes de conflitos infantis, cujos sintomas seriam suas expressões simbólicas.

1ª Classificação (baseada na teoria do trauma/sedução, na teoria de diferentes defesas contra idéias incompatíveis e no inicio da teoria da libido

   1- Neuroses Atuais:
Neurastenia: estase da libido levando à fadiga física
Neurose de Angustia: transformaçào da libido em angústia
Hipocondria: psicose atual

    2- Psiconeuroses de Defesa
Neurose Histérica:  vítima da sedução e repressão da sexualidade
Neurose Obsessiva: agente da sedução e deslocamento do afeto
Fobia: deslocamento do afeto 
Parafrenias: rejeição (“verwerfung”) da experiência

 Com a elaboração do conceito de narcisismo e a conclusão dos textos metapasicológicos (1915), a nosografia de Freud foi reformulada. Abandonou o termo parafrenias que havia cunhado para nomear as psicoses e passou a considerá-las neuroses narcísicas. O termo Neurose Atual caiu em desuso.

2ª Classificação (baseada na teoria da libido: diferentes defesas contra fantasias eróticas, agressivas e homossexuais; no inicio da teoria da transferência e das relações objetais)
    1-  Psiconeuroses:
          Histeria (regressão a uma situação infantil ou regressão temporal) e Fobia: defesas contra fantasias sexuais
          Neurose Obsessiva (regressão a formas anteriores de satisfação pulsional ou regressão formal ou
          
 biológica): defesa contra fantasias agressivas

    2-  Neuroses Narcísicas:
          Demência Precoce:  defesa contra homossexualidade
          Melancolia: defesa contra perda ambivalente
          Paranóia:  defesa contra a homossexualidade

Com a elaboração dos conceitos de "ego", "id" e "superego" (1920) a nosografia de Freud foi novamente modificada:

3ª Classificação:  baseada na teoria da transferência; teoria estrutural e na dualidade pulsional (Eros e Tanatos)
    1-  Psiconeuroses:
         Histeria e Fobia: defesas contra a sexualidade
         Neurose Obsessiva: defesa contra a agressividade

    2- Neuroses Narcísicas: 
         Melancolia:   a transferência ocorre; “caldo puro de pulsão de morte

    3- Psicoses:
        Esquizofrenia:  a transferência não ocorre por regressão ao narcisismo (fase pré-objetal); defesa contra a
                                                     homossexualidade

retorna